O que o pop-up nos ensina sobre relacionamento


Pop-ups e relacionamento Sabe quando você visita um site e uma janela de anúncio “pula” na tela, atrapalhando o que você realmente quer ver? São os chamados pop-ups, cada vez mais odiados pelos usuários da internet. Tanto que 85% das pessoas aderem aos bloqueadores de pop-up, segundo pesquisa da Research Now.


Há também aquele de tela inteira, que te impede de ver qualquer outra coisa até que você encontre o minúsculo “x” para sumir com ele da sua vista (pavoroso!).


O que essa aversão aos pop-ups reflete é algo mais amplo e que não deve ser ignorado por nenhum empreendedor, mesmo aqueles que ainda estão de fora do mundo virtual.


A internet trouxe a todos nós dois benefícios muito importantes: maior liberdade de escolha e a possibilidade de interação. Podemos visitar os sites de nosso interesse na hora mais conveniente para nós. E, especialmente em relação às empresas e marcas, não somos mais ouvintes passivos do que elas querem nos dizer. Temos voz e nos manifestamos em sites e redes sociais, sejam estas empresas ativas online ou não.


Isso nos leva aos pop-ups. Se tenho liberdade de escolha, se posso ser ouvido, por que vou tolerar um anúncio intrusivo? O pop-up representa justamente o oposto do que a maioria de nós espera da internet.

Toda essa conversa sobre os pop-ups nos leva a uma conclusão: acompanhe de perto seus investimentos em marketing digital. Coloque-se no lugar das pessoas que veem seus anúncios. E lembre-se: os seus consumidores têm voz, quer você queira, quer não. Investir em um relacionamento com eles certamente trará mais benefícios que incomodá-los com um pop-up.


Freepik photo